domingo, 31 de maio de 2009

Petrobras estuda acabar com CO2 da camada pré-sal

Uma das maiores emissoras de CO2 do país, a Petrobras anuncia que planeja deixar de lançar na atmosfera milhões de toneladas de carbono presentes nos reservatórios de petróleo e gás da camada pré-sal. As concentrações de carbono no local são muito maiores do que em outros campos petrolíferos. Estimativas apontam que somente nas duas áreas com reservas delimitadas os campos de Tupi e Iara, onde há um acúmulo de até 12 bilhões de barris de óleo e gás existam 3,1 bilhões de toneladas de CO2, um dos gases que contribuem para o aquecimento do planeta. Para evitar que todo o gás pare na atmosfera, a solução é investir em tecnologia. A companhia quer reinjetar o CO2 extraído do pré-sal nos próprios reservatórios. Segundo José Formigli, gerente da Petrobras para exploração e produção do pré-sal, o acúmulo de CO2 nas reservas da bacia de Santos é gigante e seriam liberadas "milhões e milhões de toneladas". Como o gás carbônico é um contaminante para o gás natural e não tem valor comercial, normalmente ele é lançado na atmosfera, afirma o gerente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário