quinta-feira, 11 de junho de 2009

Tel Aviv tenta impedir parada gay

Líderes políticos e rabinos ultraortodoxos enviaram uma carta ao prefeito de Tel Aviv exigindo o cancelamento da parada gay planejada para sexta-feira. O prefeito, Ron Huldai, anunciou que "a parada vai marchar e que Tel Aviv é um modelo de tolerância para todo o país".O vice-primeiro-ministro de Israel e ministro do Interior, Eli Ishai, do partido ultraortodoxo Shas, lidera o protesto contra a parada. Em uma carta ao prefeito da cidade, Ron Huldai, assinada por diversos líderes religiosos, inclusive deputados e os rabinos-chefes de Israel, o grupo exige que a prefeitura cancele a parada e afirma que "se a parada não for cancelada, pelo menos deve ser realizada em um lugar fechado, longe dos olhos de menores e do público cujos sentimentos podem ser feridos por esse evento". Os autores da carta também afirmam que "um evento como esse deve ser realizado na periferia e não no centro da cidade, para não expor menores a conteúdos negativos". Os ultraortodoxos exigiram que a polícia impeça "conteúdos sexuais, obscenos e pornografia" e que verifique se os participantes são maiores de idade e "que todos estejam vestidos e que não portem acessórios com conotação sexual negativa".

Um comentário:

  1. Eu não consigo entender esse preconceito que algumas pessoas têm, e acho que nunca vou entender mesmo.

    ResponderExcluir