quinta-feira, 2 de julho de 2009

Edmar Moreira dono do castelo se livra da cassação

Por O Globo
O Conselho de Ética da Câmara rejeitou, por 9 a 4 (e uma abstenção), o relatório do deputado Nazareno Fontelles (PT-PI), que pedia a cassação do mandato do deputado Edmar Moreira (sem-partido-MG), dono de um castelo em Minas, acusado de uso indevido da verba indenizatória. O parecer está derrotado - declarou o presidente do Conselho de Ética , José Carlos Araújo (PR-BA), que, como manda o regimento, designou um novo relator entre os que votaram contra o parecer.O escolhido foi Hugo Leal (PSC-RJ), que pediu um prazo para elaborar o parecer, que será votado na próxima semana. Durante o debate, Hugo Leal foi um dos deputados que defenderam a aplicação de uma pena alternativa a Edmar Moreira. A pena em estudo é a suspensão temporária das prerrogativas regimentais de Edmar, o que o impediria de concorrer à Mesa Diretora, discursar no plenário da Casa e relatar projetos (nas comissões ou em plenário). Ele continuará, no entanto, tendo direito a votar e a receber os subsídios e todas as verbas para exercício do mandato. Araújo fez primeiro o convite ao deputado Moreira Mendes (PPS-RO), mas o deputado alegou problemas com o partido. Moreira Mendes votou contra a cassação de Edmar Moreira, contrariando orientação do PPS. Ele fez questão de dizer que a posição era sua e não do PPS, que estava votando de acordo com sua consciência. O Conselho tem responsabilidade com a imagem da Casa. Edmar não pode ser a palmatória de tudo de errado que ocorreu nesta Casa, mas tem que ser punido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário