quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sarney diz que não irá renunciar de seu cargo

Por O Globo
Em sua ilha particular do Curupu, no Maranhão, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), mandou dizer que não renuncia. Integrantes do seu grupo político explicitaram nesta quarta ao Palácio do Planalto a desconfiança de que o vazamento das gravações da Polícia Federal, foram comandadas pelo ministro da Justiça Tarso Genro, e tiveram claro objetivo de desestabilizá-lo politicamente. O próprio Sarney estaria contrariado com Tarso, por não ter tido controle maior da investigação na PF. Avaliação reservada do grupo de Sarney é de que Tarso deveria ter evitado o vazamento das conversas telefônicas e o direcionamento da investigação da Operação Boi Barrica para Sarney. O presidente do Senado falou com poucos interlocutores políticos. Demonstrou estar magoado com a enorme exposição de seus familiares. Mas tem sido enfático ao afirmar que não pensa em renúncia ou afastamento. Contando com o apoio incondicional da maioria da bancada peemedebista e mesmo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado disse aos seus interlocutores que pretende continuar se defendendo do que classificou de campanha da mídia para derrubá-lo.

Um comentário:

  1. é Brasil amigon agora foi descoberto de uma grafica no congresso com 1000 funcionarios sendo 75 chefes é Brasil abraço amigon

    www.ruivosuburbano.blogspot.com

    ResponderExcluir