quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Nova lei sobre medicamentos em fármacias gera polêmica

Por G1
As novas regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a venda de medicamentos dividem opiniões antes mesmo de entrar em vigor. Mesmo os medicamentos que não precisam de receita vão ter que ficar fora do alcance do cliente, atrás do balcão. O objetivo da mudança seria, em um primeiro momento, coibir a automedicação. Clientes com doenças graves, no entanto, já reclamam que não poderão ir pessoalmente ao local e ainda acreditam que os balcões ficarão superlotados. Uma das novas regras prevê que remédios de tarja preta, de venda controlada, só poderão ser comprados pessoalmente - por isso a reclamação. Farmacêuticos, por outro lado, dizem que seu trabalho será valorizado. A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), que representa as 25 maiores redes do país, por meio de nota, informou que “questiona veementemente as novas regras divulgadas” pela Anvisa por meio da Resolução RDC 44/09. A entidade alega que “restringir o acesso aos medicamentos isentos de prescrição médica causa mudanças profundas que impactam negativamente a vida do cidadão”. Além disso, para a Abrafarma, a Anvisa “não tem poder de legislar”, pois é “apenas um órgão executivo, que tem o dever de respeitar a legislação em vigor“.

Nenhum comentário:

Postar um comentário