quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Puro Esporte: Nem só de futebol deve viver o esporte brasileiro

Por Alisson Matos
Há alguns anos dez em cada dez garotos tupiniquins sonhavam em se tornarem grandes ídolos do futebol. Isso se deve à visibilidade proporcionada pelo esporte e claro ao dinheiro que pode ser arrecadado. Mas essa tendência vem se alterando e o futuro nos reserva grandes atletas em esportes antes taxados como de segunda categoria. O Brasil já perdeu inúmeras oportunidades na formação de grandes ídolos. No surgimento do fenômeno Gustavo Kuerten, o Guga, nossos governantes não souberam aproveitar a imagem do atleta para incentivar o advento de jovens talentos. O tênis continuou sendo um esporte elitizado, fazendo com que crianças de baixa renda não tivessem acesso. A falta de democracia no esporte prejudica o esporte nacional, um dos alicerces para o desenvolvimento social e educacional de qualquer nação. Um esporte que vem se popularizando a cada ano é o vôlei. Tido como um esporte para poucos nos anos 80, a modalidade vem ganhando adeptos ao longo dos anos. E há uma explicação óbvia, pois tivemos grandes seleções nacionais, que venceram jogos olímpicos e Super Ligas. Quando o esporte se torna bem sucedido, sua visibilidade aumenta paralelamente ao número de praticantes. Talvez a última grande estrela do esporte nacional seja César Cielo. O nadador medalhista de ouro nas derradeiras Olimpíadas abriu portas para que novos talentos aparecessem. A motivação das crianças veio com as vitórias. O Cielo se tornou um ídolo e o governo deveria utiliza-lo com o intuito de formar mais do que novos nadadores e sim grandes cidadãos. Esse desejo de impulsionar os esportes olímpicos deve vir acompanhado de um maciço investimento em obras voltadas a centros esportivos. E esse investimento será feito para a realização dos dois maiores eventos esportivos do planeta. É necessário que haja uma democratização dos esportes, onde todos sem distinção teriam acesso ao esporte que desejasse praticar. É preciso incentivar, pois o que não falta são crianças e adolescentes buscando uma oportunidade. Quem tem a ganhar com isso é o Brasil.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. ISSO AE
    TEMOS QUE INVESTIR EM OUTRAS COISAS TAMBEM!

    ResponderExcluir
  3. CONCORDO COM VOCÊ CARO AMIGO.. O BRASIL JÁ PERDEU MUITOS JOVENS ATLETAS, QUE ATÉ TIVERAM INTERESSE, MÁS NAO TIVERAM APOIONENHUM DA SOCIEDADE (GOVERNO)

    JOVENS QUE DEIXARAM O ESPORTE PARA TRABALHAR EM OUTRA ÁREA QUE LHE DESSE UMA RENDA PARA SUA SOBREVIVÊNCIA..

    SEM FALAR QUE GAROTOS QUE PRATICAM ALGUM ESPORTE DIFICILMENTE ENTRAM PARA OS VÍCIOS, COMO ALCOOL CIGARRO.. OU MAIS, COMO COCAÍNA, CRAK E MACONHA.

    ESPERO QUE COM A DIVULGAÇÃO DAS OLIMPÍADAS VENHAM ASCENDER NOVOS ÍDOLOS PARA A NAÇÃO, E QUE O GOVERNO NÃO OS IGNORE DE BRAÇOS CRUZADOS..

    ResponderExcluir
  4. É preciso mesmoo investimentos novos! Esportes ao alcance de todos,sem exceção de nenhuma classe brasileria,seria muito bom mesmo para o Brasil!
    Mas o governo tá aí...sem fazer quase nada de bom para nosso país..¬¬'

    ResponderExcluir