quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Puro Esporte: A queda de um mito.

Por Alisson Matos
Recentemente o ex-tenista norte americano André Agassi revelou ter usado uma substância considerada pela ATP (Associação de Tenistas Profissionais) um doping. Considerado um dos maiores tenistas da história, o atleta que fora considerado um mito do esporte hoje passa a ser considerado um mitômano. O uso de substâncias químicas com o intuito de levar vantagens em cima dos adversários é mais que uma atitude ilegal, é imoral. Um atleta profissional (se é assim que ele deve ser chamado) não pode se submeter ao jogo sujo, ao imoral e à mentira. É inadmissível que um tenista de tal porte recorra à dopagem afinal, ele não só enganou a federação, mas sim quem merece o maior respeito quando se fala em esporte, os torcedores. Hoje temos o direito e o dever de contestar as veracidades proferidas pelo tenista. Podemos duvidar de todos os títulos conquistados por ele, pois quem garante que o atleta só fez o uso de substancias ilícitas para o esporte somente uma vez?Não é o primeiro e provavelmente não será o último caso de dopagem no mundo do esporte. Tivemos casos no futebol, no vôlei, na natação, no atletismo, entre outros. Estamos longe de chegar a uma solução, afinal me parece que, por mais rigoroso que o teste antidoping tenha se tornado, ele continua brando, se tornando condizente com a trapaça.A maior punição que o ex-tenista irá enfrentar será o descrédito que irão atribuir a ele pelos seus fãs. Dentre a barbárie cometida pelo ex-atleta deve-se ressaltar uma virtude, pois é inegável a coragem que o ex-tenista demonstrou ao se expor de tal forma, correndo o risco de cair no ostracismo ou ser eternamente lembrado pelo fato.Uma coisa deve ser dita quem comete tamanha injustiça não merece ser considerado esportista, pois um atleta vai muito além do que conquistas, envolve preceitos morais, éticos e de conduta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário