quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Pense Nisso: Chuva para salvação, chuva para destruição

Por Danilo Quintal
Toda vez que chove na cidade São Paulo a população ganha uma preocupação a mais. A chuva na cidade paulista gera certa dialética, é de extrema importância para abastecer nossas represas e regular a umidade do ar da nossa cidade, que é corroído pela poluição. Em outro plano a chuva causa estragos imensos na cidade, atinge áreas diversas que variam desde a arquitetura paulista até serviços prestados a população, como transporte público e particular. Uns dos maiores prejudicados são os moradores que habitam em áreas de risco, vivendo um “inferno” particular cada vez que chove, com desabamentos, deslizamentos, enchentes, etc. Quem culpar? O governo? A população, que imunda a cidade com lixos e lixos? São Pedro? Manifeste-se, eu me manifesto assim:
Choveu f...
Lá vem a chuva,
Lava a alma, molha o solo,
Leva a casa, fere a dignidade,
Leva ao alerta.

Lá vem a chuva,
Lá vem o vento, trazendo o seu lixo,
Levando tudo, que se conquista com o tempo,
Longe está quando tudo se normalizará.

Cadê a solução? Cadê a tal canalização?
Cadê o “piscinão”? Tudo não passa de enganação?
Cadê a urbanização? Falta esgoto e um básico saneamento.
Com certeza sobra, tormento, lamento lágrimas.

Cadê o governo? Choveu, parou, transporte acabou...
Cadê você? Olha o alerta de estado de calamidade na TV!
Cadê a solução? O estado é pífio é a situação caótica.
- Cadê você, São Pedro? Faça parar de chover!

Nenhum comentário:

Postar um comentário