sábado, 27 de fevereiro de 2010

Maioria dos deputados do DF afirma que votará pelo impeachment de Arruda

Por Camila Campanerut
Dos 24 deputados que compõem a Câmara Legislativa do Distrito Federal, a expectativa é de que apenas 15 deles possam votar na próxima terça-feira (2) sobre o impeachment do governador afastado, José Roberto Arruda (sem partido). Um levantamento feito pelo UOL Notícias mostra que a maioria deles sinalizou ser favorável à continuidade do processo. Ontem, a comissão especial da Casa aprovou por unanimidade a abertura do processo, que já havia sido indicada pelo relator, o deputado Chico Leite (PT). Para ser aprovado, o relatório precisa ser aceito pela maioria simples dos parlamentares presentes na sessão, o equivalente a 50% mais um. Apenas 15 deputados deverão votar porque oito deles são investigados pela Casa, pela Polícia Federal e pelo Ministério Público por envolvimento no que ficou conhecido como o mensalão do DEM, um esquema de corrupção e pagamento de propina a servidores e prestadores de serviço do Distrito Federal. Os deputados investigados são: Ayilton Gomes (PR); Benedito Domingos (PP); Benício Tavares (PMDB); Eurides Brito (PMDB); Júnior Brunelli (PSC); Leonardo Prudente (sem partido- que renunciou nesta sexta-feira); Rogério Ulysses (sem partido); Rôney Nemer (PMDB).Nos bastidores, chegou a ser questionado se os suplentes desses distritais poderiam fazer parte da decisão. No entanto, eles ainda não foram chamados oficialmente para substituir o posto dos titulares e, consequentemente, ainda não tem poder de voto. Além dos oito, a Câmara Legislativa perdeu mais um de seus integrantes, Wilson Lima (PR), que assumiu nesta semana o governo interino no lugar de Paulo Octávio (sem partido, ex-DEM), que renunciou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário