quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Trote violento na ESPM, marca inicio das aulas

Por G1
O pai do calouro agredido na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo, durante o primeiro dia de aula afirmou ao G1 que seu filho só deve voltar à faculdade caso o agressor seja identificado e expulso. O rapaz, de 18 anos, está internado no hospital Israelita Albert Einstein e, nesta quarta-feira (3), será operado para corrigir uma fratura no nariz. “Não tenho coragem de deixar meu filho em um lugar em que ele pode ser agredido novamente”, disse o pai do calouro, que ainda não sabe se pretende acionar a faculdade judicialmente. “Em primeiro lugar estou preocupado com a saúde do meu filho.” Na segunda-feira (1), o calouro participava das atividades realizadas na rua durante o primeiro dia de aula quando foi agredido pelas costas. Após ser derrubado no chão, o universitário levou chutes na cabeça. Logo depois da agressão, o estudante foi atendido na enfermaria da faculdade e, em seguida, foi levado para o hospital com hematomas e dois ossos quebrados no rosto. De acordo com assessoria de comunicação da ESPM, o agressor ainda não foi identificado. No entanto, a faculdade descarta qualquer relação com trotes violentos. De acordo com a assessoria, o agressor é outro calouro, que se irritou com uma brincadeira. O agressor foi gravado por uma equipe de filmagens da faculdade. Um policial amigo da família que acompanhava o pai do rapaz na noite de terça-feira, e que prefere não se identificar, afirma que a família não sabia o que fazer quando recebeu a informação. “Eles estavam extremamente chocados e então me procuraram”, disse. O caso foi encaminhado para a 36º Distrito Policial, na Vila Mariana, na Zona Sul. O agressor ainda não identificado deverá ser indiciado por lesões corporais graves e pode ser expulso da faculdade.

Um comentário: