quarta-feira, 5 de maio de 2010

Funcionários da USP entram em greve por tempo indeterminado

Por G1

Funcionários da Universidade de São Paulo (USP) começaram uma greve por tempo indeterminado nesta quarta-feira (5). Os professores não participam da paralisação. O Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp) reivindica aumento salarial e protesta contra quebra de isonomia devido ao aumento de 6% concedido aos professores no início deste ano. A categoria quer 16% de reajuste, além de R$ 200 fixos no salário por perdas salariais dos últimos anos. Segundo o sindicato, a greve afeta a circulação de ônibus internos da USP, laboratórios, bibliotecas e áreas administrativas. Ainda não há um balanço da adesão de trabalhadores à greve. O campus Butantã tem cerca de 9 mil trabalhadores e o total da universidade, incluindo outros seis campi no interior, é de 15.500. De acordo com balanço preliminar feito pela reitoria da USP no campus Butantã, estão parados os serviços da coordenadoria de assistência social, o prédio da antiga reitoria e a coordenadoria do campus. Já as faculdades estão funcionando e as aulas estão mantidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário