domingo, 11 de julho de 2010

"Por mim, o Prateado nem estaria mais no ar", diz Eduardo Sterblitch

Por Zean Bravo
Eduardo Sterblitch é chamado de César Polvilho até pelo gerente do banco. A confusão é natural. Foi por meio dessa alcunha que o carioca de 23 anos tornou-se conhecido no "Pânico na TV!", onde encarna ainda outros tipos bizarros - e também hilários - como Malisa, a menina monstro, Freddie Mercury Prateado e Serginho do "BBB", o mais recente dos seus personagens. Vindo do teatro, Sterblitch entrou para o dominical da Rede TV! há dois anos e meio, depois de chamar atenção nos palcos com o grupo cômico Deznecessários. Mas apesar de desfrutar de popularidade com os personagens do "Pânico", ele não se classifica como humorista. E diz não ser nem um pouco apegado aos papéis que faz na TV. - Queria que todos eles acabassem o mais rápido possível para evitar a repetição. A cada domingo eu mesmo tento me boicotar. Por mim, o Prateado nem estaria mais no ar - surpreende Sterblitch. Para o ator, quanto maior o rodízio entre os seus personagens, melhor: - A forma de pensar no "Pânico" é como se você estivesse no circo e tivesse que criar sempre uma novidade. Caso contrário, você vira um ator de novela fazendo sempre os mesmos papéis. Fã de Dedé Santana, Sterblitch também não se considera um imitador. Mas basta vê-lo no vídeo abusando dos trejeitos e dos carões ao interpretar o Serginho, do "BBB", para achar que ele faz isso com a maior facilidade. - Não imito o Serginho! Eu brinco com o tipo dele. O meu repertório não é o de um imitador como o do Carioca e o do Ceará - explica, citando dois de seus colegas de elenco também famosos por suas impagáveis composições de personagens. O segredo, ensina o ator, é comer pelas beiradas. Ele primeiro testa os personagens em doses homeopáticas antes de aumentar suas participações nos quadros do programa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário