sexta-feira, 2 de julho de 2010

Roger comenta boato sobre PSDB proibir música do "Ultraje"

Por Ana Cláudia Barros
A "notícia" parecia improvável, com jeitão e cara de boato, mesmo assim, desafiando o senso crítico, espalhou-se pela internet até se transformar no mais recente capítulo da "guerrilha virtual" travada entre tucanos, petistas, simpatizantes e afins. O marco zero da confusão aconteceu quando o site de humor Notícias Globais - "O jornal com a credibilidade que você merece" - decidiu "informar" que o PSDB havia entrado com uma representação junto ao TSE, pedindo a proibição da música "Eu gosto é de mulher", da banda paulistana Ultraje a rigor, durante a campanha eleitoral. O motivo? A frase "mulher pra presidente", que aparece na canção. Com ares de verdade, o boato começou a fazer jus à fama, causando rebuliço na rede ao ser amplamente reproduzido por blogs e no Twitter. E a brincadeira não pegou somente os incautos. Houve muita gente experimentada que também acreditou que os tucanos realmente consideraram a música uma espécie de mensagem subliminar a favor de Dilma Rousseff (PT).Um deles foi o próprio Marcelo Branco, coordenador da campanha da candidata petista nas redes sociais. Na manhã desta terça-feira (30), ele chegou a postar em sua página do microblog:
@MarceloBranco Absurdo: PSDB pede censura p música do Ultraje a Rigor "Mulher dona-de-casa, mulher pra presidente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário