domingo, 4 de julho de 2010

Seleção chega ao Rio em meio a tumulto; Melo é hostilizado

Por Bruna Fantti
Foto: Hélio Motta
“Fizemos um segundo tempo muito abaixo do potencial, mas tudo valeu pela luta”. A afirmação foi feita pelo zagueiro Juan, o primeiro jogador a desembarcar no aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, no Rio, na madrugada deste domingo. A frase resumia bem os sentimentos divididos de revolta e alegria dos cerca de 30 torcedores que se aglomeraram junto a cinegrafistas, fotógrafos e repórteres em uma saída improvisada, com policiais militares armados até com fuzis - chamados em cima da hora para reforçar a segurança. Enquanto o zagueiro falava e era ovacionado pelos torcedores, o volante Felipe Melo aproveitou o espaço vago entre dois seguranças e correu em direção ao carro dirigido pelo pai, que avançou o veículo em direção à multidão buzinando. O coro da torcida, acompanhado por palmas que até então eram de “guerreiro” ( direcionados ao zagueiro Juan), mudou o tom para um misto de raiva e de repúdio ao volante, aos gritos de “vacilão” e “ vá embora”. O carro, cercado por pessoas que batiam nos vidros fumês, só conseguiu sair com a ajuda de seguranças. O grupo de torcedores, às 3h da manhã (horário de Brasília), ainda esperava pelo desembarque do goleiro Júlio César, do auxiliar técnico Jorginho, do zagueiro Thiago Silva e do meio-campista Kleberson, que ficariam no Rio. O lateral Gilberto já havia saído por outra saída sem dar entrevistas, assim que o voo chegou de Joanesburgo, às 1h40 (horário de Brasília).

Um comentário:

  1. eu escrevi sobre a derrota da seleção lá no meu blog, se quiser dar uma olhada http://moradadevenus.blogspot.com/2010/07/o-brasil-perde-uma-chance-de-aprender.html

    ResponderExcluir