domingo, 22 de agosto de 2010

Comediantes pedem liberdade no humor

Por R7
Humoristas da televisão brasileira vão se reunir neste domingo (22) para fazer um protesto contra a lei que proíbe que os programas façam caricaturas e piadas com políticos nessa época de eleições. A passeata Humor sem Censura vai sair do Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O R7 conversou com o humorista Bruno Motta, que comanda um quadro no programa Furo MTV.Segundo ele o objetivo da passeata é informar a população do que se trata essa lei e mostrar que "no fundo é uma forma de censura". - O objetivo é ser visto, informar todos do que está acontecendo. O ponto é: por mais bonitinha que os políticos queiram pintar a lei, por mais motivos que dêem, ela é censura. E a gente não pode permitir uma coisa dessas. O que a gente espera é que alguém perceba a incongruência de uma lei dessas e que revoque o mais rápido possível. Motta considera que a lei tira da população mais uma opção de informação para ajudar na escolha dos candidatos. Mas reconhece que essa não é a função principal do humor. - O humor diverte. Mas a gente não pode esquecer o lado da crítica, da paródia, da ironia. Quem ri pensa, a mensagem por meio da comédia gera sempre uma reflexão, uma discussão. A comédia pode não ser o motor de escolhas melhores, mas é combustível. O humorista considera que o material produzido no horário eleitoral seria usado com grande empenho pelo humor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário