sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Crônica: Geração arco-íris

Por Paulo Sanseverino
Quando iríamos imaginar que algum dia, os meninos iriam usar calças coloridas e coladas ao corpo, e que centenas ou até mesmo milhares de garotas histéricas se jogariam aos seus pés? Pois é, esse dia chegou!
O pior de tudo é que se os pais apóiam quem somos nós para não apoiar tanta bizarrice.
Se fossem somente as roupas apertadas, mostrando cada traço de seus corpos esqueléticos, e que a adolescência contemporânea acha incrível, estaria de bom grado.
Mas, há algo além disso: antigamente era anormal um rapaz andar com cabelos aos olhos, hoje não, isso virou comum tanto é que ao conversar com uma figura dessas vocês não conseguem ter uma conversa olhos nos olhos, pois sua franja quase no queixo impõe uma barreira entre o diálogo.
Mas tantas estranhezas têm uma explicação, e a essa mania de andar como se fosse um “arco-íris”, se deve aos ídolos que ditam moda na televisão, e a juventude acha incrível tal comportamento e acaba copiando seus astros.
Se algum dia alguma garota ou dependendo do seu vocabulário, pode-se chamar de “mina”, lhe chamar de “Fiuk”, ou seu estilo é muito “Restart”, ou até mesmo fazer o comentário “Uau! Amei seu cabelo, está bem “style” como o do Justin Bieber”, não sinta-se ofendido, pois isso é o maior elogio que um garoto pode receber, e ainda ser invejado pelo seu grupo de amigos, ou como as meninas preferem chamar seu grupo de “colírios” .
Depois de tantos elogios, é só colocar sua roupa mais colorida e apertada do seu guarda-roupa, pentear sua longa franja, e dizer “baby, baby, baby, ow”!


Nenhum comentário:

Postar um comentário