terça-feira, 7 de setembro de 2010

Caso Rita Lee: quem fala o que quer, ouve o que não quer

Por Nina Lemos
"Rita, não sabe brincar, não desce para o play". Assim um amigo resolveu em 140 caracteres a confusão que envolve o Twitter, a cantora Rita Lee, o Corinthians e os moradores do bairro de Itaquera. Tudo começou, como se sabe, quando a cantora afirmou que o bairro era o "cu de onde saia a bosta do bandido." Claro, a declaração não irritou apenas quem vive em Itaquera. Mas quem acha que falar assim da casa alheia é falta de respeito. Você gostaria que chamassem o seu bairro de cu? Não. E quem consegue se colocar no lugar dos outros achou que a cantora, que fazia sucesso com seus tweets bem humorados, errou na mão. A notícia foi parar nos jornais e nos sites. Pronto. Polêmica criada em cinco segundos. Afinal, no mundo digital é assim. Você pensou bobagem e escreveu? Se ferrou. Vai ser cobrado, questionado pelo público e vai ter gente que vai discordar de você. Na lata, apesar de virtualmente. Será que os famosos estão acostumados a lidar com isso?. Parece que não. Ao ser atacada pelo que disse, Rita respondeu com desaforos. Até que uma hora pediu desculpas, meio não pedindo. A confusão teve fim (ou apenas aumentou) nessa segunda feira, quando Rita anunciou que estava saindo do Twitter por conta do quiproquó. Na véspera, o "Fantástico" havia feito uma reportagem sobre Itaquera, e pessoas falaram mal de Rita. Ela diz que sua família está sendo ameaçada, o que não é de se duvidar. A repercussão de uma reportagem do "Fantástico" é imensa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário