sábado, 4 de setembro de 2010

'Errei e quero pagar pelo meu erro, diz Rafael Bussamra, sobre a morte do filho de Cissa Guimarães

Por Gustavo Goulart
Indiciado pela Polícia Civil por quatro crimes no caso do atropelamento de Rafael Mascarenhas, o estudante Rafael Bussamra, de 25 anos, disse, nesta sexta-feira, que está pronto para cumprir qualquer decisão da Justiça, mas criticou a delegada Bárbara Lomba, da 15ª DP (Gávea), por indiciá-lo por homicidio doloso, fraude processual, fuga de local de crime e corrupção ativa. Em sua primeira entrevista após o atropelamento e a morte de Rafael, filho da atriz Cissa Guimarães, Bussamra desabafou, alegando "que não valeu a pena dizer a verdade". - A verdade está tão distorcida que eu, meu pai (o engenheiro Roberto Bussamra) e meu irmão (Guilherme Bussamra) estamos sendo vilões por termos sido os únicos a falar o que realmente aconteceu. Errei e quero pagar pelo meu erro, o acidente, o homicídio culposo - disse Bussamra, acrescentando que teme ser condenado apenas para servir de exemplo. No escritório de seu advogado, Spencer Levy, no Centro, Rafael e seu pai passaram a manhã de sexta-feira comentando o caso e a decisão da delegada Bárbara Lomba. - Foi uma decisão dela, embora a delegada tenha dito logo no início da investigação que havia sinais claros de que houve coação (por parte dos PMs). Nunca fugi de nada na minha vida. Quero responder pelo acidente não intencional. Sinto tristeza pela morte do rapaz, mas, na minha consciência, devo responder pelo que aconteceu de verdade, um acidente - repetiu Bussamra. Ele afirmou ter buzinado e piscado os farois após avistar skatistas (Rafael estava com mais dois amigos) do lado esquerdo da via, no Túnel Acústico, na Gávea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário