quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Livro sobre Lampião mostra lado artístico do Rei do Cangaço

Por Francisco José
Lampião, o rei do cangaço, era também um grande costureiro. Essa é uma das histórias que o repórter Francisco José revela para você. Lampião, rei do cangaço, considerado o terror do sertão no início do século passado costurando, fazendo tricô demonstrando sua arte na confecção de adornos de couro. Preocupado com a estética e com as roupas do seu bando se tornou um desafio para os estudos da Ciência Social. Ao realizar uma viagem simbólica ao Agreste, ao Sertão, a origem do cangaço. O escritor está lançando o seu sétimo livro: “Estrelas de couro, a estética do cangaço”. “É um dos paradoxos de Lampião. A ideia que se tem sempre de um homem permanentemente brutal, cafajeste. Quando nós cruzamos os depoimentos de pessoas que, ao longo de uma vida inteira conviveram com ele na intimidade, as constantes são: Lampião era um homem alto – 1m80 – magro, moreno, calvo e bem educado. Esse é o Lampião verdadeiro que, infelizmente, o cinema ainda não mostrou nesse paradoxo”, explica o escritor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário