sábado, 18 de dezembro de 2010

Violência: Fui assaltado e sobrevivi

Por Paulo Sanseverino
Que a cidade de São Paulo está violenta, isso é inegável. E dessa vez o alvo dos assaltantes foi a pessoa que vos fala. Isso mesmo, fui assaltado na noite de quinta-feira (16) na saída do Teatro do Ator na Praça Roosevelt, Centro da Capital. Fui abordado por dois indigentes, aparentemente drogados, um com uma faca nas mãos, pedindo para que eu não gritasse e outro portando uma arma de fogo nas minhas costas. Como eu iria reagir com essas armas em cima de mim? Pois é, fiquei pensando numa saída para ganhar tempo enquanto conversava com eles, o assaltante da faca era o mais nervoso, ficava gritando para eu passar tudo o que eu tinha, e já foi pegando meu celular e uma máquina fotográfica que estava no bolso de trás da calça. Nessa hora todos que estava por perto e perceberam que era uma assalto sumiram, aí fica a pergunta. Por que não chamaram a polícia ? Enfim, vai entender a solidariedade das pessoas. Mas, a minha preocupação era dele não enfiar aquela faca no meu estômago e o bandido da arma me dar um tiro pelas costas, aos poucos deixei os dois na minha frente e fui pedindo calma pra eles, falaram se eu não desse a carteira iriam atirar em mim, fiquei em pânico mesmo. Disse que só iria tirar meus documentos da carteira e daria tudo que estava dentro, quando dei por mim o trombadinha do revólver estava distráido, foi a hora que reagi. Dei uma baita chute no meio das pernas dele, que com certeza ele viu estrelas. E empurrei o outro pra poder sair correndo, parti feito um foguete, cheguei no metrô República desesperado aos prantos e consegui salvar pelo menos minha carteira. Mas, galera nunca reajam a um assalto a mão armada, eu reagi, pois, meu pagamento estava todo na carteira e o desespero falou mais alto, e graças a Deus estou vivo para contar essa história pra vocês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário